sábado, 2 de maio de 2009

ENEM E OUTRAS COMPARAÇÕES.....


A escola que procuramos.

Muito se fala ,pouco se decide sobre qual seria a escola ideal para os jovens que frequentam a escola pública,onde se entra por querer, sem querer, apesar de não querer.

Há jovens interessados em sua formação. Há jovens nem tão interessados assim e outros que estão ali por imposição.

O foco do momento é a diversidade. E diversidade é o que mais se vê numa escola pública:alunos com família, sem família, com liberdade assistida, mães aos 13 anos,alcoólicos, adictos,com emprego,desempregado,com passe de ônibus, com boas solas de sapato pra andarem vários quilômetros.....diversidade é o que não falta!

Se pensarmos que a escola pública pressupõe o direito à educação,independente de cor, raça,religião,classe social,capacidade intelectual,porque isso vai refletir no futuro numa sociedade mais justa, não teria tanta importância enaltecer resultados externos, porque N fatores interferem nesses resultados,pelo menos nesse mostrado pela mídia.

É injusto comparar a nota de uma escola pública, cuja clientela,em sua grande maioria estuda e trabalha, tendo sobre si o encargo de ajudar no sustento do lar e o de uma outra, onde os alunos têm todos os recursos à disposição,sem a necessidade de se preocuparem se no final do mês conseguirão, pelo menos , frequentar as aulas por falta do passe escolar.

A escola deve se relacionar à cultura dos alunos e levar em conta suas experiências.Por que, então, crucificá-la e, de carona, seus professores?

São realidades diferentes: a da escola pública é muito mais sofrida que a da particular.Aquela tem que convencer seus alunos dos benefícios da educação a médio e longo prazo, esta já recebe os alunos convencidos disso.

Uma análise mais justa seria analisar o quanto o aluno se desenvolveu durante sua estadia na escola, se ele amadureceu,se tem uma conduta honesta, se ele assimilou valores essenciais à sociedade,se ele aprendeu a respeitar o meio-ambiente,se ele se importa com o ser humano que está sentado a seu lado...o resto é comércio...puro comércio!

Um comentário:

  1. Oi, Vera!

    Concordo com esse olhar que revelas no post sobre as avaliações como ENEM...

    Acho as provas do ENEM muito bem feitas, em que se avalia as competências e habilidades e não apenas a memorização...

    Só que nossos alunos da periferia, como passaram uma vida inteira de exclusão - de tudo: livros, cinema, teatro, televisão, jornais, revistas, debates... - não têm construídas as habilidades e competências como o ENEM quer!

    Eles (os alunos) têm outros saberes - como sobreviver num mundo sem salário digno, como criar alternativas de renda (muitos são catadores), por exemplo - que não são avaliados no ENEM e por isso são mais uma vez excluídos...

    Ainda existe outro dado importante, do "chão-de-escola": a maioria da gurizada nem tenta fazer o ENEM (os vestibulares muito menos!). "Isso não é pra mim!" dizem.

    Li, no blog Chapa Branca, por indicação do Robson, do Caldeirão:

    "Segundo os pesquisadores da FVG, ao contrário do que se imaginava, a principal causa do abandono escolar entre os jovens não é a necessidade de trabalhar (para ajudar no sustento da família) e sim a falta de interesse na escola. Ainda segundo a pesquisa, uma parte considerável dos jovens que abandonam as salas de aula, não consegue perceber como os seus estudos podem melhorar as suas condições de vida e das suas famílias. Para eles estudar, além de trabalhoso e chato, não leva a lugar nenhum, é uma completa perda de tempo."

    Eu sinto isso que está posto nessa matéria: a falta de perspectiva, de esperança...

    A maioria dos alunos que conclui o ensino médio fica lá na "vila" meio atirados, sem ter o que fazer... sempre à procura de emprego (que não há), ou tendo filhos...

    Agora, aqui, temos a Unipampa, universidade federal... mas vai demorar algum tempo até que a gurizada se dê conta disso... por enquanto "Isso não é pra mim, professora!"
    E não é mesmo, quem estuda nessa universidade é só o pessoal de classe média alta, que não precisa trabalhar para se manter, pois as aulas são em dois turnos!!!

    Abraços!!!

    ResponderExcluir